quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Debate sobre violência doméstica e abuso infanto-juvenil


Momento do fórum de debates sobre violência doméstica - Foto: AsCom PMT

Com o tema ‘Quebrando o silêncio’, o Fórum de Debate sobre Violência Doméstica e Abuso Sexual contra Crianças e Adolescentes reuniu nesta quinta (29), representantes de vários segmentos no auditório da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Teresópolis (ACIAT).

O projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica é promovido desde 2002 pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul. A cada ano, um tema é escolhido para ser abordado, com o propósito de conscientizar e denunciar abusadores e ajudar as vítimas.

A secretária dos Direitos da Mulher, Margareth Rosi, e a coordenadora do Programa ‘Bem me Quer Terê’, Sandra Erli Azevedo, explicaram como funcionam os serviços que oferecem, as formas de atendimento e de encaminhamento das vítimas de violência.

Também participaram integrantes do programa ‘Patrulha Maria da Penha - Guardiões da Vida’, do 30º Batalhão de Polícia Militar, e a promotora de Justiça Carla Cruz, da 3ª Promotoria de Justiça Criminal de Teresópolis.

A Secretaria dos Direitos da Mulher oferece atendimento psicológico, jurídico e social a mulheres vítimas de violência de segunda a sexta, de 9h às 18h, em sua sede, localizada no 2º piso do Centro Administrativo Municipal Manoel Freitas (Av. Lúcio Meira, 375/sala 201, na Várzea). Mantém uma sala de acolhimento na 110º Delegacia Legal, no Alto, com atendimento exclusivo para as mulheres, de segunda a sexta, de 12h às 18h.


 O programa ‘Bem Me Quer Terê’ é vinculado ao Centro Materno Infantil/Secretaria Municipal de Saúde e está instalado no prédio anexo do Centro Administrativo Manoel Freitas (Av. Lúcio Meira, 375/3º piso), na Várzea. Conta com equipe formada por assistente social, psicólogo, médica e enfermeira, que faz o acolhimento de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, que são ouvidas em ambiente apropriado, com escuta qualificada. Quando necessário, os casos são encaminhados à rede de saúde e assistência social para tratamento e acompanhamento O atendimento acontece de segunda a sexta, das 9h às 17h.


Nenhum comentário:

Postar um comentário