sábado, 18 de abril de 2015

Unifeso concede bolsas para projetos de pesquisa


Programa de Iniciação Científica, Pesquisa e Extensão - Foto: Unifeso

No dia 13 de abril a Diretoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (DPPE) do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) outorgou as bolsas dos projetos aprovados pelo Programa de Iniciação Científica, Pesquisa e Extensão (PICPE) 2015. Nesta edição foram cerca de oitenta projetos, nas modalidades de pesquisa científica, pesquisa de tecnologia e inovação e projeto de extensão.

“Já são dez anos do PICPE UNIFESO, que é o programa que promove este fomento interno à pesquisa, num esforço institucional muito grande de investir nessa área. Nesses anos conseguimos ampliar o número de bolsas, com um pequeno aumento no valor delas. Temos também alguns projetos que contam com fomento externo, uma possibilidade que temos observado com muito otimismo, contando com uma participação muito efetiva dos nossos professores, já que o potencial do nosso corpo docente em pequisa vem se ampliando ao longo dos últimos anos ”, comemorou o professor Alexandre José Cadilhe, Diretor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão.

Todos os pesquisadores docentes e discentes foram convocados para o encontro, quando foram assinados os termos de outorga de bolsa e apresentadas as orientações gerais para participação no PICPE. A listagem dos projetos aprovados para fomento pelo programa está disponível no site do UNIFESO; http://www.unifeso.edu.br/pesquisa/pdf/resultado-picpe.pdf.

A professora Roberta Montello Amaral, dos cursos de Administração e Ciências Contábeis, teve aprovado o trabalho sobre Educação Financeira que está orientando. “Queremos começar a entender por que as pessoas hoje estão tão endividadas. Percebi que os alunos toda vez que aprendem o conjunto dos inteiros na escola — que são os números positivos e negativos — recebem muitos exemplos de se pegar dinheiro emprestado no banco e ficar devendo.

O nosso objetivo é quantificar isso nos livros de Matemática adotados nos colégios de Teresópolis e observar se estamos incentivando esses empréstimos de alguma forma”, explicou a professora, que já orientou cerca de cinco projetos no PICPE. “Todos os projetos que oriento costumo levar para congressos e em alguns deles os participantes ganham apoio financeiro para participar”, destacou.

A estudante Fernanda Ribeiro, do curso de Medicina, submeteu um projeto que envolve a arte e o trabalho médico na criação das situações-problema e das provas. Para ela, participar do programa “é uma possibilidade de nos motivar a criar e pesquisar, principalmente na área médica, que é muito ampla, e ter uma perspectiva boa para nossos projetos, já que temos a intenção de levá-los a congressos e publicá-los”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário