quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Teresópolis promove ações de combate ao fumo


Programa de Controle ao Tabagismo - imagem ilustrativa

A OMS (Organização Mundial de Saúde) afirma que o tabaco mata até metade de seus usuários, ou seja, mais de 8 milhões de pessoas a cada ano. Com o objetivo de orientar quem deseja parar de fumar, a Prefeitura de Teresópolis, Por meio da Secretaria de Saúde, promove diversas ações, através do Programa de Controle ao Tabagismo. Nesta sexta, 14, às 13h30, começa o trabalho de descentralização das ações do programa, com palestras e seleção dos grupos, pela Unidade de Saúde da Granja Guarani (Alameda Maués, 269).

“O Programa de Controle ao Tabagismo estará disponível em todas as equipes da Estratégia de Saúde da Família no município de Teresópolis. Promovendo ações de ambientes 100% livres de fumo, tratamento para deixar de fumar, prevenção da iniciação no tabagismo, mobilização em datas comemorativas e divulgação da legislação”, ressalta a subsecretária de Atenção Básica, Ednéia Martuchelli.

As unidades de Albuquerque, Vargem Grande e Fonte Santa terão o começo das atividades na segunda semana de março. Todas as outras unidades vão oferecer o programa a partir do mês de abril. A captação dos interessados no programa acontecerá em todas as unidades de saúde do município e na Divisão de Atenção Básica da Secretaria de Saúde.

Enfrentamento ao tabagismo

A década de 1970 foi o marco do inicio do enfrentamento ao tabagismo com a elaboração de um Guia Nacional de Tratamento e Controle do tabagismo. São 50 anos de luta contra essa epidemia que ameaça a saúde pública, se configurando como a terceira causa de morte evitável na história da humanidade.


A OMS afirma que o tabaco mata até metade de seus usuários, ou seja, mais de 8 milhões de pessoas a cada ano. Mais de 7 milhões dessas mortes são resultado do uso direto do tabaco, enquanto cerca de 1,2 milhão são resultado de não-fumantes expostos ao fumo passivo. Quase 80% dos 1,1 bilhão de fumantes do mundo vivem em países de baixa e média renda.


Nenhum comentário:

Postar um comentário