quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Pesquisa de estudante premiada em evento nacional


Danilo Amaral da Fonseca no ENANGRAD - Foto: Unifeso
 
A pesquisa “Educação Financeira no ensino fundamental II em Teresópolis”, do estudante Danilo Amaral da Fonseca, do curso de Administração do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) foi um dos vinte artigos selecionados no Brasil inteiro para ser apresentado no XXVII Encontro Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ENANGRAD), realizado de 19 a 21 de novembro na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em Campinas (SP). “Foi uma experiência muito boa porque minha apresentação teve a presença de professores muito bem qualificados da área de Finanças que se interessaram no projeto e pediram para dar continuidade aprofundando e ampliando os cenários da pesquisa”, contou Danilo.
 
O ENANGRAD tem grande destaque no cenário educacional brasileiro e vem se consolidando como o maior evento da graduação em Administração na América Latina. Neste ano o encontro abordou o tema “Metodologias de aprendizagem e suas relações com o mundo do trabalho”. Para Danilo, sua pesquisa chamou a atenção para o evento porque “diante a atual situação financeira que o país está vivendo é importante começar a educação financeira desde pequeno”.
 
Além da sua apresentação, o estudante aproveitou para atualizar seus conhecimentos participando de outras atividades. “Entre elas, foi muito interessante a oficina que tratou das questões do ensino proativo e da sala de aula ‘invertida’ nas universidades, o que chamam também de metodologia ativa, pois trabalha o ensino-aprendizagem de forma muito dinâmica. Esse assunto foi muito discutido no evento”, contou.
 
Sobre a pesquisa
 
O trabalho “Educação Financeira no ensino fundamental II em Teresópolis” começou em 2015 quando Danilo se inscreveu no Programa de Iniciação Científica, Pesquisa e Extensão (PICPE) do UNIFESO com a professora Roberta Montello Amaral. “A professora Roberta, ao ver os livros de sétimo ano, que é quando se aprende os números inteiros na escola, percebeu que todos usavam exemplos de como ficar devendo dinheiro ao banco e saldo devedor. A ideia foi fazer um levantamento entre as escolas públicas e privadas do município de Teresópolis e saber a forma pela qual são abordados os números inteiros para todos os alunos realmente em todos os livros, qual é a preocupação da educação financeira e se existe diferença entre o ensino público e o privado neste ensino”.
 
Segundo Danilo, toda a comparação foi feita utilizando uma ferramenta estatística para comprovar os resultados. “No final vimos que praticamente 6% dos exercícios do colégio público de números inteiros apresentam exemplos como ‘ficar devendo dinheiro ao banco’ e ‘saldo devedor’, e nos colégios particulares esse volume passa de 7%. Com isso concluímos que os estudantes do ensino privado, quando comparados aos do colégio público, estão mais suscetíveis a esse tipo de ensino que consideramos que vai ao encontro da educação financeira”, relatou o estudante, que elaborou junto a professora Roberta duas ferramentas para inserir o ensino de educação financeira nas escolas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário