sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Defesa Civil fará exercício na Ilha do Caxangá


Defesa Civil de Teresópolis - Imagem de arquivo
 
Com o objetivo de criar uma cultura de prevenção na população fluminense, a Secretaria Estadual de Defesa Civil realizará no dia 29 de novembro exercícios simulados de desocupação em todo o Estado. A ação marcará o Dia Estadual de Redução de Riscos de Desastres, comemorado pelo terceiro ano consecutivo no Rio de Janeiro. Em Teresópolis, a comunidade escolhida pela Secretaria Municipal de Defesa Civil é a Ilha do Caxangá, no bairro do Alto, área sujeita a inundação.
 
A iniciativa consiste na mobilização da sociedade para participar de simulados de desocupação em áreas com risco de desabamento e inundações onde estão instaladas as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme. A ideia é instruir o público sobre as medidas de prevenção e fornecer orientações sobre escape em caso de acidentes diversos.
 
“O exercício será executado como se fosse um evento real, testando e atualizando o treinamento dos moradores em caso de ocorrências ligadas à chuva. A proposta é manter a disciplia consciente da prevenção na comunidade”, explica o subsecretário operacional de Defesa Civil, tenente Francisco Cordeiro.
 
Vão participar do simulado técnicos de Defesa Civil, agentes comunitários e voluntários do NUDEC (Núcleo Comunitário de Defesa Civil) implantado na Ilha do Caxangá. Quando as sirenes instaladas na comunidade tocarem durante o treinamento, os moradores deverão deixar as suas casas e se dirigir a um dos pontos de apoio pré-definidos, que são a quadra esportiva da associação de moradores, a igreja católica e o Colégio Estadual Euclydes da Cunha.
 
A Ilha do Caxangá é contemplada com três importantes ações de prevenção de defesa civil: as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, que são acionadas preventivamente quando o volume de chuvas atinge de 30 a 35 mm no intervalo de uma hora, indicando risco de inundação; o Núcleo Comunitário de Defesa Civil, em que voluntários são treinados para dar a primeira resposta aos moradores em época de fortes chuvas, até a chegada dos órgãos oficiais de socorro; e com uma UPC – Unidade de Proteção Civil, que conta com agentes comunitários contratados temporariamente pelo Estado para alertar e orientar a população em casos de emergência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário