sexta-feira, 13 de junho de 2014

UNIFESO comemora o 5º Dia do Peixe


Tilápia - Imagem ilustrativa

Palestras, apresentações de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs), publicações científicas e de projetos em andamento na área de aquicultura e pesca, estandes de empresas, almoço, degustação, sorteios e clima descontraído fizeram parte da quinta edição do Dia do Peixe, realizada no dia 2 de junho no Campus Quinta do Paraíso do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO). Um dos objetivos desse evento é levar aos estudantes e produtores rurais da região as pesquisas e resultados obtidos na Instituição na área de aquicultura.

A coordenação desta edição ficou por conta da professora Beatriz Sturm, da disciplina Aquicultura, Extensão Rural e Forragicultura, ex-aluna do curso de Medicina Veterinária do UNIFESO. Formada desde 2007, ela assumiu a disciplina e a coordenação do evento neste semestre “com muita alegria de dar continuidade a um trabalho que começou quando eu era estudante”. Ela destacou como atrativos deste ano a presença de pesquisadores de instituições de fora e uma egressa que contou sua experiência com a análise do impacto da criação de trutas em Teresópolis, além do apoio de diversas empresas.

A estudante Jessica Rosa, do sétimo período, nos últimos dois meses esteve empenhada nos preparativos para o evento junto aos colegas. “Fizemos os reparos nos tanques, compramos os alevinos (peixes filhotes) e os criamos e engordamos no processo de produção. Além disso, atuamos tanto na parte de vendas e programação quanto na cozinha preparando o cardápio”, contou a estudante, acrescentando que cerca de 500 quilos de tilápia foram utilizados no evento.

Entre as “chefes de cozinha” do almoço estava a estudante Michele Leal da Costa, selecionada por seus dotes culinários, já que está acostumada no seu dia a dia a dividir as tarefas do curso com as atividades de dona-de-casa. “Lá em casa minha família elogia quando preparo pratos com tilápia”, garantiu. Ao novato Rafael de Oliveira Pinto, estudante do primeiro período, interessam muito as pesquisas na área de aquicultura. “Trata-se de uma área bem carente de profissionais e aparenta ser bastante rentável”, constatou o estudante.

Como começou

O Dia do Peixe tem como fundador o professor Aloísio Sturm. Para ele, uma das funções das universidades é pesquisar, “porque só se avança quando se pesquisa, e penso que hoje esse é um grande diferencial do curso do UNIFESO, que investe em pesquisa”.

Ele trabalhou com piscicultura há muitos anos na região da Baixada Fluminense e devido ao sucesso decidiu tentar na região Serrana. Mesmo considerando o fato da condição climática ser bem diferente, ainda assim ele insistiu em testar e desenvolver trabalhos de pesquisa para mostrar a viabilidade da criação de tilápia em ambientes mais frios. “O mercado quer o peixe, a potencialidade é enorme e a viabilidade é o que estamos comprovando a cada dia. A tilápia é o segundo peixe mais criado no mundo hoje, e logo será o primeiro”, apostou o professor, que passou a promover o Dia do Peixe no UNIFESO com o intuito de chamar a atenção dos acadêmicos e de produtores da região para a importância de pesquisas na área.

Nenhum comentário:

Postar um comentário